Quanto Custa um Tratamento de Canal – Particular e SUS

Para quem não tem seguro odontológico, os preços são bem salgados. Veja quanto custa um tratamento de canal.

Quando uma cárie se estende por dentro do dente, pode atingir o nervo, que, em condições normais, fica protegido pelas camadas na câmara pulpar. O processo pode se espalhar até a raiz, provocando dores durante a mastigação e na posição deitada. A solução é o tratamento de canal radicular, que envolve a limpeza da polpa infectada, o nervo e os canais de desinfecção.

Quanto Custa um Tratamento de Canal?

tratamento de canal

Os preços variam especialmente de acordo com a localização do dente. Um tratamento de canal custa entre R$ 700 e R$ 1.200 para um dente frontal e entre R$ 1.000 e R$. 1700 para um molar.

Publicidade





O tratamento de canal nos dentes molares custa mais caro por causa da maior dificuldade de acesso e porque cada um destes dentes contém ao menos três canais. Os dentes incisivos apresentam apenas um. Os preços variam também de acordo com a região em que o tratamento odontológico é realizado e a experiência do dentista.

tratamento de canal preço

Como é o tratamento de canal, dói?

O tratamento de canal é sempre feito sob anestesia. O tecido danificado ou inflamado é removido. Através de perfuração (o famoso e quase sempre temido “motorzinho”), o local de onde o tecido foi retirado é limpo com limas e sucção. O tratamento pode ocupar duas ou três sessões no consultório do dentista. Entre elas, o dente pode ser selado, para prevenir contra novas infecções.

Uma vez que toda matéria potencialmente nociva, ao final do tratamento, o espaço aberto é preenchido com material inerte. Isto elimina a dor e garante a mastigação adequada. Em alguns casos, porém, quando é necessário retirar muita polpa, pode ser necessária a implantação de uma coroa ou cobertura protetora. Isto aumenta os cultos do tratamento de canal.

Serviços mais baratos

A maioria das faculdades de Odontologia mantêm clínicas que atendem parte da população sem recursos, gratuitamente ou a preços subsidiados. Sob a supervisão dos professores, alunos dos últimos semestres do curso realizam procedimentos como tratamento de canal, de gengiva, extrações e limpeza.

Nas clínicas universitárias, no entanto, quase sempre existem filas – e quem precisa de um tratamento de canal raramente pode esperar. Além disto, cada faculdade faz as próprias regras: algumas cadastram os pacientes, outras recebem encaminhamentos do SUS (Sistema Único de Saúde).

O SUS também oferece serviços odontológicos gratuitos, mas está longe de suprir a demanda. Os pacientes precisam ser encaminhados por uma unidade básica de saúde (UBS) e o serviço se restringe a poucas cidades, além de consultórios itinerantes.

Para reduzir custos, porém, é importante não descuidar da higiene bucal diária (escovações e fio dental) e avaliações periódicas com um dentista. Se, mesmo assim, surgirem dores de dente, é preciso buscar o consultório odontológico: a obturação de pequenas cáries é mais barata e rápida do que um tratamento de canal, cujo preço é inacessível para a maioria dos brasileiros.