Quanto Custa uma Cesta Básica – Preço

Trata-se de um conjunto de itens de alimentação. Veja quanto custa uma cesta básica no país.

A cesta básica brasileira é composta por 13 itens: arroz, feijão, farinha de trigo (ou de mandioca, mais consumida na região Nordeste), café, açúcar, óleo vegetal, margarina, carne, leite, batata, tomate, pão (francês ou de forma) e banana, laranja ou maçã. Os ingredientes podem variar em função da sazonalidade e da região.



O custo de uma cesta básica é um instrumento para avaliar o poder de compra do salário mínimo para suprir as necessidades alimentares básicas de uma pessoa durante um mês.

Em países desenvolvidos, a constituição da cesta básica é feita com base nas necessidades nutricionais humanas (proteínas, vitaminas, sais minerais, etc.). O kit brasileiro é relativamente pobre, com carência de frutas, legumes e verduras. Além disto, está longe de ser um banquete.

Publicidade

cesta básica preço

Quanto Custa uma Cesta Básica?

O DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos –, órgão não governamental dedicado à pesquisa, assessoria e qualificação dos trabalhadores, avalia a despesa com alimentação em algumas capitais brasileiras. Confira quanto custa uma cesta básica em algumas destas cidades:

  • Brasília (DF): R$ 451,76;
  • São Paulo (SP): R$ 448,31;
  • Rio de Janeiro (RJ): R$ 448,06;
  • Vitória (ES): R$ 438,42;
  • Florianópolis (SC): R$ 437,24;
  • Porto Alegre (RS): R$ 432,64;
  • Belo Horizonte (MG): R$ 417,72;
  • Campo Grande (MS): R$ 412,61;
  • Manaus (AM): R$ 405,72;
  • Curitiba (PR): 398,46;
  • Natal (RN): R$ 392,20;
  • Belém (PA): R$ 374,50;
  • São Luís (MA): R$ 351,17;
  • Salvador (BA): R$ 349,26;
  • Recife (PE): R$ 344,47;
  • Rio Branco (AC): R$ 341,53.
  • Maceió (AL): R$ 337,32.

preço da cesta básica

Ano passado, o preço da cesta básica teve aumentos em 17 das 18 cidades pesquisadas pelo DIEESE. A exceção foi Natal, que registrou recuo de 1,7%. Em Brasília, Salvador, Curitiba e Campo Grande e Aracaju, os reajustes ficaram acima do índice de inflação oficial, de 10,67% (mensurada pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Os moradores da capital baiana tiveram de arcar com uma variação positiva de incríveis 26,40%.

O valor da cesta básica pode ser menor em algumas localidades, em função da proximidade com centros de produção agropecuária. Seja como for, com o aumento da inflação, o preço está registrando altas mensais, comprometendo cada vez mais o poder de compra dos brasileiros.

Outros fatores que podem onerar o custo da cesta básica:

  • aumento do preço dos importados (o trigo, por exemplo, matéria prima da farinha e do pão, entre outros itens, é uma commodity; portanto, está sujeito às variações internacionais);
  • colheitas abaixo do esperado pelo mercado;
  • aumento dos combustíveis.

Com base no preço da cesta básica de maior valor (verificado em Brasília, em fevereiro de 2016), o DIEESE calculou que o salário mínimo deveria ser de R$ 3.795,24 mensais, para suprir as necessidades elementares de uma família composta por quatro pessoas. Tomando como parâmetro o piso salarial nacional, de R$ 880,00, uma pessoa precisa trabalhar 97 horas para comprar os alimentos básicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *