Quanto Custa uma Ressonância Magnética – Valor do Exame

O procedimento ajuda a obter diagnósticos mais precisos, mas uma ressonância magnética custa bem caro.

A evolução da medicina diagnóstica nas últimas décadas é um fato inegável. Médicos e outros profissionais de saúde, avaliando uma tomografia computadorizada, obter imagens claras da área do corpo lesionada (ou apenas dolorida) e propor terapêuticas adequadas a cada caso.



O diagnóstico por imagem – e a ressonância magnética é um dos exemplos desta área – em hospitais e clínicas particulares, custa um bom dinheiro.

ressonância magnética

Publicidade

Quanto Custa uma Ressonância Magnética?

A ressonância magnética de um joelho custa até R$ 600, por exemplo. Se for necessária a utilização de um fármaco de baixa radioatividade (injetado nos pacientes), fundamental para alguns em alguns exames – ele melhora a definição e caracterização das lesões –, o preço chega a R$ 700.

Um exame com o uso deste equipamento, dependendo da estrutura orgânica a ser investigada (por trauma ou suspeita de comprometimento de órgãos torácicos ou abdominais), pode demorar entre 15 minutos e duas horas – e quanto mais tempo dura o atendimento, maiores são os custos das ressonâncias magnéticas.

Como funciona a ressonância?ressonância magnética quanto custa

O fármaco utilizado na ressonância magnética tem vida útil de poucas horas. É preciso que seja fabricado e encaminhado ao local de exame em poucas horas, para que a radioatividade não se perca. Até poucos anos atrás, o único cíclotron (a máquina que produz o contraste) do Brasil estava em São Paulo. Hoje, a cíclotrons em Campinas (SP), Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre, o que ajudou a reduzir os custos nestas cidades e regiões.

Quanto custa uma máquina de ressonância magnética?

Um dos principais motivos é que, em exames tão sofisticados como a ressonância magnética, o investimento feito na aquisição dos aparelhos. A mão de obra para operá-los também precisa ser qualificada em bons cursos de Medicina ou Radiologia.

Dependendo de sua capacidade, um equipamento de ressonância magnética custa entre R$ 1,5 milhão e R$ 3 milhões. A manutenção anual, que inclui os procedimentos para arrefecimento das bobinas magnéticas, feito com gás hélio, pode chegar também a R$ 1,5 milhão. O hélio está cada vez mais escasso no mercado, o que explica seus altos preços.

preço da ressonância magnética

No SUS, o exame é gratuito?

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil possui mais de 600 equipamentos de ressonância magnética espalhados pelo país e administrados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). No caso, a indicação é feita pelos gestores de saúde – secretarias municipais e estaduais e suas unidades de atendimento: AMAs, hospitais gerais e hospitais de referência.

Em 2012, foram realizadas mais de 600 mil ressonâncias magnéticas na rede pública, sem custo para os pacientes. O Ministério da Saúde mais de R$ 170 milhões para Estados e municípios, para cobrir os custos dos exames, conservação e manutenção dos equipamentos.

Os problemas, aqui, estão no atendimento precário, na demanda não atendida – boa parte da população espera meses e até anos para conseguir atendimento especializado nos ambulatórios e hospitais públicos – e na falta de mão de obra para operar equipamentos como os da ressonância magnética. O exame exige profissionais qualificados – e os baixos salários, aliados a condições precárias de trabalho, afugentam os bons técnicos, “empurrando-os” para a iniciativa privada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *